Naruto RPG Akatsuki
Olá visitante, registre-se em nosso fórum e venha fazer parte desde mundo mágico de Naruto, sim, seja um Ninja! Veja no vídeo abaixo os primeiros passos para fazer parte deste mundo após o seu cadastro!


Convidado


15/12/2017, 15:56
Mensagens: 0
Geral
RPG
Ficha de personagem
Rank:
Perso:
HP:
CK:
ST:

Notificações
Não há notificações
Resetar as notificações
UM TEXTO AQUI LOGO LOGO
Meta: 00,00 R$ Recebido: 00,00 R$
00%
compre Seus AGs Pelo Pag Seguro e Paypal
UPDATES!
09.09.2017 — Exatamente um mês desde o último update, estou aqui hoje para avisar que o arco RUPTURAS está oficialmente encerrado. Ao longo dos próximos dias o tópico referente a ele será devidamente atualizado. Como prometido, novos sistemas virão (já estão disponíveis para o público ver e sugerir coisas) e novos Clãs/Kekkei Genkais também, além disto, muito em breve teremos o inicio de um novo arco.
ESTAÇÕES & EVENTOS
Ano: 08
Primavera:
14/11 - 07/12
Verão: 08/12 - 30/12
Outono: 31/12 - 22/01
Inverno: 23/01 - 13/02





Últimos assuntos

» [MISSÃO C] Kojaku
por Rize Hoje à(s) 15:34

» [Cena] shirotsuki
por Khada Hoje à(s) 15:28

» Lista & Organização de Vilarejos
por Khada Hoje à(s) 15:20

» [Banco] Gesso
por Zoe Hoje à(s) 15:15

» [FP] Tomoko (em construção)
por Tomoko Hoje à(s) 15:14

» [MISSÂO C] Kurama Katsuro
por Arlong Hoje à(s) 14:55

» [RP - EP] Desencontros
por Sarutobi Kygo Hoje à(s) 14:42

» [RP - CP] A Princesa da visão nevada
por Yami Hoje à(s) 14:40

» [MISSÂO C] Thalles
por Thalles Henrique Hoje à(s) 14:38

» Repost [RP-CAP]Milk
por Arlong Hoje à(s) 14:35

Procurados
Procurados RPG Akat


Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

[Missão Rank C] O Herdeiro do País - Reeve.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

Olly Sivan

avatar
Chūnin
Chūnin


HERANÇA


Burguês


NévoaOutono20ºC1/3 Posts


Ambiente: O nevoeiro é o mesmo de sempre, encobrindo os céus e a maior parte da visão da vila. É quase imperceptível a presença de ventos e claridade por parte do Sol.

Narração: Reeve havia acordado com um objetivo em mente: ocupar o seu dia com alguma atividade extracurricular, mas no final das contas somente retirou um dos papéis do Quadro de Missões da vila e se preocupou em executá-la. Sua cabeça se movimentava desesperadamente para descobrir meios de concluí-la logo e felizmente. Dessa vez precisava se preocupar com a figura que vinha abaixo da de renome, o filho do Senhor Feudal da Névoa, jurado do trono honrado pelo pai. A hereditariedade precisava ser conservada, e Reeve era o responsável por ela a partir de agora.

Conteúdo do Papel/Missão:

O Herdeiro do País
Descrição:
O Senhor Feudal e alguns dos principais guardas estarão em uma viagem através de algumas vilas de nosso país. Para auxiliar na proteção ao seu filho, ele está contratando os serviços de nossa vila. Confiamos em você!

Considerações: Levante-se, narre o começo do seu dia e, depois, a vontade de fazer algo diferente de missões. Você acaba passando pelo quadro e decidindo executar uma delas, no fim. Saia do quadro em direção da região sul da Névoa, nos arredores da vila, para encontrar o Senhor Feudal e seu filho.




OLLY KURAMA SIVAN

_
Ver perfil do usuário
Para começar bem o seus dias Reeve precisava sempre de duas coisas: se masturbação bem antes de levantar-se da cama e depois disso um banho gelado. Feito os dois, Reeve seguiu para a cozinha, onde cumprimentou sua mãe e seu pai, logo assumindo o lugar ao lado de um dos irmãos. Para Reeve a melhor parte do dia era aquela,  a do café da manhã, por isso, como sempre, não dispensou-a antes de sair de casa. Deixou a cozinha sem nenhuma conversa e seguiu para o banheiro, viu-se no espelho e estava com a aparência de sempre, depois viu pela janela o clima da vila, que era estava também como de costume. Não se preocupou em escovar os dentes. Nada de novo, e ele iria pegar mais uma vez uma daquelas missões para sequelado. Se eu precisar passar o dia em uma floricultura de novo enfio a mão inteira no cu de alguém.
Neste dia Reeve decidiu simplesmente passar pelo quadro de missões e ver o que havia ali de menos broxante por fazer. Depois de ver todas, decidiu por ir à missão de segurança ao filho do Senhor Feudal. Meeh.
Dirigiu-se diretamente ao lugar designado quase de imediato, apressado, pois o horário definido estava próximo. Chegando lá, muito mais ao sul da vila, encontrou justamente a dupla que iria acompanhar naquele dia. Não se preocupou em apresentar-se aos dois, mas sabia quem eram por já ter visto o Senhor Feudal outras vezes.
- Olá, sou da Vila da Névoa. Vim companhar vocês na sua viagem. - Reeve aproximou-se de ambos com as mãos socadas no fundo dos bolsos e sem nenhum sorriso no rosto.

hp 200, ch 200.
[/i]

Ver perfil do usuário

Olly Sivan

avatar
Chūnin
Chūnin


HERANÇA


Burguês


NévoaOutono20ºC2/3 Posts


Ambiente: O nevoeiro é o mesmo de sempre, encobrindo os céus e a maior parte da visão. É quase imperceptível a presença de ventos e claridade por parte do Sol.

Narração: – Oh, sim, muito prazer, garoto! A verdade é que somente eu irei. Meu filho necessita ficar em casa porque os assuntos que tenho para tratar não são de seu feitio. Espero poder contar com a sua ajuda, de qualquer forma. Ele é bastante pequeno, então imagino que você tenha consciência e não vá se importar caso ele resolva apelar para suas artimanhas, certo? Saber que serviria, naquele dia, como uma babá, entristecia e, mais do que isso, enfurecia Reeve, que antes de responder o Senhor Feudal precisou respirar fundo e contar até dez progressiva e regressivamente. Estava feita a merda.

Considerações: Bom, é necessário que você diga que tudo bem. Passe o restante do dia ao lado do garoto. De preferência, narre o quão cu foi. Ele tem apenas 4 anos de idade.




OLLY KURAMA SIVAN

_
Ver perfil do usuário
Pelo jeito com que falava com Reeve, ele sequer iria precisar enfiar a mão no cu do velho, já que ele devia ter um braço inteiro lá. Mesmo após respirar fundo não conseguiu conter a risada pelo que teria que fazer.
- Sem problemas. - se Reeve fosse sincero diria que não entendeu porra nenhuma daquilo, já que a missão era para acompanhar o Senhor Feudal em viagem pelo país, e não cuidar do filho dele. Mas se ele pudesse pelo menos comer onde quer que fosse, seria mais suportável. Aliás ele pensava sobre crianças o mesmo que de cachorros e peido de outras pessoas: se ignorasse bem nem perceberia que estavam lá.
No fim, o velho partiu deixando para trás os dois, quando Reeve percebeu que talvez o dia fosse mais simples do ele pensou inicialmente, já que o garoto não tinha idade nem para fimose ou piadas de mãe.

hp 200, ch 200.

Ver perfil do usuário

Olly Sivan

avatar
Chūnin
Chūnin


HERANÇA


Burguês


Residência do Senhor Feudal da NévoaOutono20ºC3/3 Posts


Ambiente: Pouca iluminação e decoração bastante apagada. Tudo o que tem ali dentro remete a um ambiente tristonho e infeliz.

Narração: Quase automaticamente, assim que o Senhor Feudal e toda a sua equipe saíram de cena, Reeve adentrou a porta daquele edifício e visualizou a criança pendurada em uma mesa de centro, bisbilhotando um vaso recheado de flores. Bastava um toque para que ameaçasse cair. A criança o fez. O vaso despencou. – Ops! - Exclamou, rindo.

Considerações: Impeça o vaso de tocar o chão. Você não sabe, mas ele foi bem caro. Inicie também um diálogo com a criança, que por mais que tenha 4 anos, parece ter bem menos psicologicamente falando.




OLLY KURAMA SIVAN

_
Ver perfil do usuário
Não foram precisos mais de que alguns minutos para que Reeve percebesse que ele talvez tivera sido otimista demais; a criança era muito chata e impossível de ser ignorada. Durante todo o curto caminho ele falava bem alto várias palavras erradas e sem sentido. O garoto não falava como seria esperado na sua idade, então Reeve concluiu que devia ser atrasado em outras coisa também. Foi depois de pensar a respeito que Reeve chegou a casa onde passaria o dia como babá concluindo seu pensamento. Que merda de lugar, mas pelo menos não fede. Melhor eu deixar tudo em ordem, não quero que nada aconteça por culpa minha aqui. Entretanto seu pensamento foi interrompido quando a criança derrubou um vaso com flores da mesa em que estava de repente. Não pensou duas vezes para correr e pegar o objeto. Apesar da casa não parecer mais do que um lugar comum, cada coisa devia custar mais que um órgão de Reeve. Foi correndo para lá e conseguiu apanhar o vaso com o pé direito, equilibrando-o nos dedos. Pegou-o e olhou dentro para saber o que o garoto fazia mexendo naquilo, poderia haver dinheiro ou algo assim. Não foi dessa vez. Não havia nada de valor ali, mas Reeve não ficou calado.
- Filho da puta... - disse muito baixo com o olhar ainda dentro do vaso que tinha em mãos. - Escuta parceiro, o que seus pais fazem para você dormir?! - Lembrou-se que não sabia como se chamava. - E aliás, como é o seu nome? - era a primeira vez ali que se dirigia ao garoto. Esperava uma resposta ainda de pé segurando o recipiente com flores, onde a criança não poderia quebrar.

hp 200, ch 200.

Ver perfil do usuário

Olly Sivan

avatar
Chūnin
Chūnin


HERANÇA


Burguês


Residência do Senhor Feudal da NévoaOutono19ºC4/3 Posts


Ambiente: Pouca iluminação e decoração bastante apagada. Tudo o que tem ali dentro remete a um ambiente tristonho e infeliz.

Narração: – Oh? Eles costumam contar histórias macabras. Eu gosto. Aquela criança dizia isso com sangue nos olhos. De longe qualquer um poderia ver que não era normal. Nem um pouco sadia. – Maicon. Meu nome é Maicon. E o seu... Não me interessa! Vem me pegar! Pulou da mesa derrubando a comida que um dos pratos continha. A xícara com leite se foi, também. – Lá, lá, lá, lá, lá! VOCÊ NÃO ME PE... GA! - Subiu na cadeira da mesa da cozinha e, depois, na mesa da cozinha, tentando se pendurar no lustre a todo custo. Conseguiu. Começou a balançar.

Considerações: Desce essa criança daí, pelo amor de Deus.




OLLY KURAMA SIVAN

_
Ver perfil do usuário
Por um lado, era uma criança bem irritante com as coisas que dizia. História macabra deve ser a vida do seu pai, aposto que ele deve estar comendo umas boas putas agora, isso sim. Mas por outro estava sendo engraçado vê-la fazendo aquelas coisas. Que porra de nome é Maicon? Colocou a mão sobre a testa e quando viu que o Maicon derrubava pratos cheios de comida postos à mesa e xícaras de leite. Quem bebe leite enquanto almoça? Aquilo não importava, podia ser resolvido depois. De alguma maneira a criança mesmo tão baixa conseguiu pendurar-se no lustre acima da mesa da cozinha. Apesar daquele rato ser rápido, Reeve também era, e também forte. Quando viu que ele se esticava para pular e alcançar o lustre ele logo se debruçou sobre a mesa da cozinha agarrando com força o tornozelo fino da criança, que escapou. Então,  Reeve subiu à mesa e quando o menor conseguiu o que queria já tinha sua perna bem apertada pelas mãos do maior. O primeiro se balançou mas não escapou desta vez; Reeve sabia que ele aguentaria o seu peso puxando-o para baixo.

hp 200, ch 200.

Ver perfil do usuário

Olly Sivan

avatar
Chūnin
Chūnin


HERANÇA


Burguês


Cozinha da Residência do Senhor Feudal da NévoaOutono24ºC5/3 Posts


Ambiente: A chapa parece estar ligada e, por isso, o ambiente se encontra mais quente do que o restante da casa.

Narração: A criança desceu junto com o lustre, que aparentemente já não era mais tão novo assim. Reeve se preocupou em impedi-la de se machucar e, assim, jogou-se para o lado, saindo das extremidades da mesa onde se encontravam antes. Acima desta, uma sujeira refletida pela queda daquele adorno de teto: o garoto já sabia que teria que descontar do seu salário o dinheiro daquele lustre. Pedia para que não fosse muito. Rogava pragas ao que dizia o nome daquela criança. – Infeliz!

Considerações: Bom, narrei como se, ao que você puxou o menino, ele trouxe consigo o lustre, que já estava praticamente solto provavelmente pela criança ter feito isso mais vezes. Preocupe-se em limpar isso aí. O lance do dinheiro descontado vem no final da missão. Por último , basta narrar o restante do dia ao lado desse pequeno satã até que a noite se iniciasse e o Senhor Feudal retornasse com a sua equipe.




OLLY KURAMA SIVAN

_
Ver perfil do usuário
Não conseguiu conter as gargalhadas que vieram quando o lustre despencou do teto junto com ele mesmo e o garoto. Simplesmente Reeve passou pelo menos alguns minutos deitado exatamente onde caíra rindo de si mesmo. Assim que levantou, limpou o pó de pele antes de perceber o estrago causado; Pelo menos ninguém havia se ferido. Com todo o barulho que aquilo provocou, ficou surpreso por nenhuma outra pessoa ter saído de algum dos outros cômodos da casa para ver o que estava acontecendo por ali. Ninguém mais está em casa? Eu nem limpo meu quarto, não vou limpar essa sujeira toda. Quando deu por si, agachou frente a Maicon e pensou em uma idéia.
- Oh meu mano, vamos brincar de pique-esconde. Vai se esconder e eu conto até 100, quando terminar começo a procurar por você. - ele não pretendia procurar, só fazer a criança passar um tempo bem longe e quieta. Por sorte são tarde estava passando rápido e aquilo só duraria apenas mais algumas horas, que ele passaria ajeitando a cozinha, querendo ou não. Já quanto a Maicon esperava apenas que não estivesse morto até o fim do dia, e tudo iria ficar bem.
Quando se viu sozinho, não demorou em começar a limpeza. Começou a procurar por cada coisa que precisaria para limpar a área. Sacos de lixo, ok; Vassoura e pá, ok; Pano para tirar o pó, ok. Nunca teve o costume de limpar a casa ou mesmo suas suas próprias coisas, mas ali era muito claro o que deveria fazer. Primeiros juntou tudo e começou a encher os sacos de lixo, em seguida limpando a sujeira menos grossa com a vassoura e a pá. Quando a mesa o chão estava todos limpos, ele seguiu para tirar o pó da mesa e das bancadas ao redor. Foi uma tarefa muito mais simples do que ele pensava ser inicialmente. Quando terminou, colocou os sacos repletos de lixo na área externa da cozinha, e voltou com a mão sobre a barriga, que roncava. Apesar de simples, foi uma tarefa bem desgastante, e ele precisava de algum líquido.
- Finalmente os refrescos. - Reeve sentou-se inclinando a cadeira e com seus pés sobre a mesa, enquanto tomava um suco que encontrou na geladeira da residência. Olhou para o relógio, o Senhor Feudal estaria de volta em breve.


hp 200, ch 200.

Ver perfil do usuário

Olly Sivan

avatar
Chūnin
Chūnin
@ - MISSÃO CONCLUÍDA.


Aquele dia não havia sido nada fácil, e mesmo depois de ter terminado com o lustre, Reeve precisou se preocupar com mais algumas asneiras partindo da boca do menininho, quadros e esculturas quase quebradas e, ainda, cocô escorrendo na parede. O Senhor Feudal chegou e não desconfiou de nada. Reeve também nem fez questão de falar; Estava tudo limpo, afinal. Retirou-se depois de cumprimentar o velho e discursar sobre a única coisa de fato relevante: o lustre. Viu a necessidade de descontar de seu salário pois não estava disposto a ter dívidas com aquela gente (principalmente se elas contassem com mais dias ao lado daquela criança, exercendo a função de babá).


Recompensa: 70.000 Ryous.



OLLY KURAMA SIVAN

_
Ver perfil do usuário

Conteúdo patrocinado


Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum